As figueiras

2014-04-17 quintal 003A figueira, foi até à década de sessenta do século passado a principal árvore de fruto nos Molianos, era tão importante para as pessoas, que não havia habitação naquele tempo que não tivesse por perto várias figueiras, para além, de muitas outras que existiam espalhadas um pouco por todos os terrenos agrícolas O principal aproveitamento dado aos figos era para a alimentação dos porcos, animais que em anos de boa produção de figos tinham menos algum tempo de vida, engordavam mais depressa e por isso mais cedo iam parar à salgadeira. As pessoas que tinham figueiras e não tinham porcos para comer os figos, alugavam-nas a outras, aluguer que por vezes não terminava com o fim da época de figos, mas se prolongava por vários anos. Mas não se pense que os figos eram apenas para os animais. Foram muitas vezes com um pedaço de broa a única alimentação disponível para quem trabalhava nos campos, assim como para os pastores que por lá guardavam o gado, eram também muitas as pessoas que guardavam os figos secos “ou passados nome porque eram mais conhecidos por aqui” e que comiam durante o inverno. Eram muitas as variedades de figueiras que existiam nesta região, conhecidas pelas pessoas por nomes populares: como a Verdeal, Coriga, Badalhoiça, Olho- de -Perdiz, Moscatel, Bebereira, Vindima, S. João, a figueira de figos pretos, entre outras. Existiam também algumas crenças relacionadas com aquelas árvores; assim quando as crianças brincavam à sombra das figueiras eram aconselhadas a alagar algumas das suas folhas para que a sombra não fosse prejudicial à sua saúde, também os homens que trabalhavam no campo no tempo em que se dormia a cesta não dormiam debaixo das figueiras, porque a sombra era demasiado fresca o que em termos de saúde diziam não ser recomendável. Quando alguém era apanhado a comer figos em figueiras que não lhe pertenciam isso era considerado normal, se o dono mostra-se descontentamento por tal ato sujeitava-se segundo a crença daqueles tempos, a que a figueira viesse a secar. Com o passar dos tempos, a figueira de árvore indispensável para as pessoas, foi perdendo a sua importância, e hoje o número das que ainda vão resistindo é já reduzido e, na sua maioria são árvores com muitos anos.

Anúncios