Era Outono

Era Outono

A tarde estava calma naquele dia em que subi ao monte, mas lá no alto, tudo em meu redor era movimento, o vento soprava suavemente as árvores agitavam-se as folhas caiam lembrando bailarinas num espaço enorme, os grilos cantavam, os passarinhos chilreavam, aves maiores voavam em circulo com elegância e imaginação. E eu, qual ser estranho naquele sítio onde tudo parecia ser liberdade, foi então que dei por mim a pensar… como é belo o mundo em que vivemos, e os homens teimosamente querem estragar, se tudo tem um fim, não é preciso esse fim apressar. A este modo de vida que é o nosso se eu pudesse, dizia não. Preferia a luz da candeia mas nunca esta louca confusão.

António EJ Ferreira