Mais recordações(tristes) do meu tempo de guerra na Guiné

Hoje, decidi colocar no blogue três das quatro viaturas que a minha companhia levou para Cobumba (sul da Guiné), à beira do rio Cumbijã, todas foram destruídas por minas.

BERLIET Cobumba A primeira berliet era conduzida pelo condutor José da silva, apesar de tudo, uma vez mais a “sorte esteve com ele” foi a segunda mina que viaturas por si conduzidas acionaram,  da primeira vez houve feridos graves entre eles o” furriel Ferreira que ficou sem um pé,”ele saiu ileso. Desta vez seguia acompanhado por um cozinheiro de que já não me lembro o nome, foram os dois projetados nas alturas mas ficaram” apenas” com o susto que não terá sido nada pequeno, iam levar o café ao pessoal de dois pelotões que estavam instalados a cerca de quatrocentos metros do local onde ficava a improvisada cozinha.

A segunda era conduzida pelo furriel mecânico, tinha acabado de chegar de férias naquela tarde vindo da Metrópole, também “apenas” sofreu o susto. Talvez aí, tenha percebido porque em Mansambo queria -mos tanto colocar sacos de terra, ou de areia, debaixo do assento e ele não deixou.

berliet

viatura Cobumba ferido grave o piriquito

A terceira viatura era um unimog 404, não me recordo quem era o condutor, sei que saiu ileso do meio dos destroços, mas as consequências aqui foram terríveis, houve feridos um dos quais muito grave o popular periquito.

Ao fundo, podem ver-se algumas das casas que a nossa companhia andava a construir para a população.

 

A quarta viatura que aqui não aparece era também um unimog 404, foi igualmente destruída  por uma mina, mas ainda foi possível ser recuperada e voltar ao serviço.

Estas são algumas das imagens com que quase todos que passaram pela Guiné tiveram que conviver e, nos levava a nós, condutores, tantas vezes a pensar, será hoje o meu dia…

António E J Ferreira