Molianos e a extração de pedra.

Nos Molianos, existem locais onde ainda hoje são visíveis vestígios de pedreiras de outro tempo de onde terá saído pedra para a construção do mosteiro de Alcobaça. Algumas pessoas atribuem o nome de Moleanos à extração de pedra que no passado daqui teria saído para fazer mós para os moinhos que existiam na região. Daí, escreverem Moleanos e, não Molianos.

Versão não corroborada pelas pessoas nascidas na aldeia nos fins do século dezanove, e foram muitas com quem ainda tive a oportunidade de conversar, todas disseram que sempre ouviram dizer aos seus antepassados que o nome da nossa aldeia se ficou a dever às primeiras pessoas que vieram morar para este local, que tinham no seu nome o apelido Molianos. Também nenhuma se lembrava de ver em atividade qualquer pedreira dessas cujos vestígios ainda hoje podem ser observados.

No início da década de sessenta do século passado teve início a exploração de pedreiras da nova geração que, com o passar do tempo, vieram a revolucionar a vida da aldeia e, direta ou indiretamente de toda a população. Uns, porque eles ou familiares passaram a ter trabalho próximo de casa, outros que tiveram oportunidade de vender terrenos por bom preço se não fosse a extração de pedra pouco valor tinham, graças ao aumento do poder de compra muitas outras atividades foram beneficiadas também. Assim como para muitos que de fora da terra para cá vieram trabalhar.

Severino

Hoje a pedra que sai dos molianos tornou-se conhecida não só em Portugal, como por muitos países de vários continentes. Mas, sem o primeiro passo nunca teria existido o segundo. E o primeiro foi dado pelo senhor Américo Ferreira Severino, aqui na foto, com abertura da pedreira da Cavadinha, assim como noutros locais. Mas foi na Cavadinha que tudo começou…

No início parecia um trabalho de algum aventureiro à deriva… E, de facto foi uma autêntica aventura, só possível a alguém que está muito à frente do tempo em que está a viver. Mas como acontece à maioria daqueles que possuem essas qualidades, o resultado do seu trabalho raramente lhe traz qualquer proveito, sendo mais tarde aproveitado por outros. O senhor Américo Ferreira Severino foi, e apesar de já não estar entre nós, continua a ser um desses exemplos.

A todas as ruas e outros espaços públicos da aldeia, nos últimos anos, foram atribuídos nomes, alguns com pouco significativos, quando existiram na nossa terra pessoas por aquilo que fizeram, para bem da comunidade, são simplesmente esquecidas, seria da mais elementar justiça que a uma rua ou obra nos Molianos fosse atribuído o nome do senhor Américo Ferreira Severino. Talvez assim, alguns que hoje se pavoneiam algures por ai, ficassem a saber que foi graças à iniciativa de alguém que hoje podem ter tal comportamento…

António EJ Ferreira

 

Anúncios